Abordando o uso de drogas recreativas, Uefa divulga novo Regulamento Antidoping

A Uefa divulgou nesta segunda-feira (11) a nova edição do Regulamento Antidoping que passou a vigorar a partir de 1º de janeiro. O documento foi atualizado seguindo as diretrizes do Código Antidoping Mundial de 2021 (WADC), garantindo que as regras antidopagem sejam as mesmas para todos os esportes e países do mundo. Algumas das principais mudanças no código permitem uma maior flexibilidade no processo de sanção para violações das regras antidopagem, além da introdução de novas disposições para proteger os denunciantes.

O termo “Circunstâncias Agravantes” foi acrescentado aos regulamentos para descrever casos especiais para as quais um período adicional de inelegibilidade de até dois anos pode ser imposto. Essas circunstâncias podem incluir, por exemplo, a utilização de várias substâncias proibidas, envolvimento em conduta obstrutiva ou adulteração na gestão de resultados.

A abordagem sobre o uso de drogas recreativas também foi incluída. O termo ‘substâncias de abuso’ refere-se a aquelas substâncias que são frequentemente consumidas na sociedade fora do contexto do esporte, por exemplo: álcool, maconha e cocaína.

Em casos que o jogador provar que utilizou esses tipos de substâncias durante um período fora da competição e não visando o desempenho esportivo, as sanções poderão ser reduzidas para até um mês se o atleta decidir participar de um programa de reabilitação. Levando em consideração o vício e o uso indevido de drogas, a Uefa busca dessa maneira educar e encorajar os jogadores a buscarem ajuda. O Lei em Campo já ouviu especialistas sobre a importância desse tipo de abordagem da entidade.

Lista de proibições da WADA 2021

A Agência Mundial Antidopagem (WADA) publicou uma lista de substâncias e métodos proibidos que, assim como o novo Regulamento Antidopagem da Uefa, também entrou em vigor em 1º de janeiro deste ano.

Para que uma substância ou método seja adicionado à lista, dois dos três critérios a seguir devem ser atendidos:

– a substância ou método aumenta ou tem potencial para melhorar o desempenho esportivo;

– representa um risco real ou potencial para a saúde dos atletas;

– viola o espírito do esporte

O novo regulamento antidoping da Uefa foi enviado a todas as federações ainda e está disponível no site oficial da entidade.

Crédito imagem: Uefa/Divulgação

Nos siga nas redes sociais: @leiemcampo

Nossa seleção de especialistas prepara você para o mercado de trabalho: pós-graduação CERS/Lei em Campo de Direito Desportivo. Inscreva-se!

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email

Últimas Notícias

Colunas

Seções

Assine nossa newsletter

Toda sexta você receberá no seu e-mail os destaques da semana e as novidades do mundo do direito esportivo.