Comissão da Câmara cria “grupo de trabalho” para acompanhar Seleção na Copa do Catar e resgatar imagem do Brasil

A Comissão de Esporte da Câmara dos Deputados aprovou, na última quarta-feira (3), a criação de um “grupo de trabalho” para acompanhar a preparação da Seleção Brasileira para a Copa do Mundo do Catar, que será disputada de 21 de novembro a 18 de dezembro deste ano. A autoria da proposta é do deputado José Rocha (União-BA), ex-presidente do Vitória, e tem como o principal pilar resgatar o Brasil como “país do futebol”.

“É bom que a Comissão de Esporte demonstre interesse pelo esporte do país, algo que pouco foi visto até o momento. O futebol é sem dúvidas patrimônio nacional e, como tal, deve ser preservado. O momento e forma, no entanto, parecem bastante descolados do interesse coletivo, visando exclusivamente o interesse individual dos integrantes da Comissão. Em termos de eficiência, um dos princípios basilares da gestão pública, a atuação dessa comissão me parece bastante questionável. Talvez com um pouco mais de transparência seja possível entender de forma mais clara o que pretendem e como o uso do orçamento público nesse caso será de interesse de todos os brasileiros”, afirma o advogado Vinícius Loureiro, especialista em direito desportivo e colunista do Lei em Campo.

“É um evento importante para o nosso país, com a participação da Seleção Brasileira na Copa do Mundo no Catar e essa comissão, como sendo uma Comissão do Esporte, é interessante que a gente crie um grupo de trabalho para acompanhar essa preparação”, declarou o parlamentar em seu requerimento.

“A proposta desse Grupo de Trabalho é provocar discussões dentro deste colegiado e junto à Confederação Brasileira de Futebol (CBF), entidade máxima do futebol brasileiro, como parte de um conjunto de esforços para resgatar a imagem do Brasil como o país do futebol”, acrescentou.

O requerimento destaca ainda que o Brasil só chegou, desde o último título conquistado (2002), a uma semifinal de Copa do Mundo, em 2014, quando perdeu “de forma vexatória da Alemanha”.

“A imagem da seleção está em baixa e, por causa disso, o futebol brasileiro tem se afastado cada vez mais do público. Precisamos então recuperar esse esporte que, além da função social indiscutível que possui, é considerado paixão nacional”, diz Rocha em sua justificativa.

A proposta foi colocada em votação pelo Delegado Pablo (União-AM), presidente da comissão, e foi aprovada sem ter nenhum voto contrário entre os 15 deputados presentes na sessão. O grupo de trabalho, que será composto por 11 membros titulares e outros 11 suplentes, não terá orçamento próprio e vai depender da verba de custeio da Comissão de Esporte, estabelecida em R$ 120 mil anuais.

Até o momento, a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) não se manifestou sobre a proposta.

O primeiro desafio do Brasil na Copa do Mundo do Catar será diante da Sérvia, no dia 24 de novembro, pelo Grupo G. Posteriormente, a Seleção encara a Suíça (28 de novembro) e Camarões (02 de dezembro).

Crédito imagem: Getty Images

Nos siga nas redes sociais: @leiemcampo

Este conteúdo tem o patrocínio do Rei do Pitaco. Seja um rei, seja o Rei do Pitaco. Acesse: www.reidopitaco.com.br

Rei do Pitaco

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email

Últimas Notícias

Colunas

Seções

Assine nossa newsletter

Toda sexta você receberá no seu e-mail os destaques da semana e as novidades do mundo do direito esportivo.