Superliga Europeia: Barcelona, Real Madrid e Juventus comemoram nova vitória na Justiça que impede UEFA de aplicar punições aos clubes fundadores

Barcelona, Real Madrid e Juventus publicaram nesta sexta-feira (30) uma nota conjunta para comemorar a decisão do tribunal comercial de Madrid que revoga todas as punições impostas aos três clubes pela UEFA por conta da criação da Superliga Europeia.

“Temos o prazer de saber que, a partir de agora, não estaremos sujeitos a constantes ameaças da Uefa. Continuamos empenhados no objetivo de desenvolver o projeto da Superliga Europeia de forma construtiva e solidária”, afirmaram os clubes.

Com efeito imediato, a decisão ainda determina que a entidade europeia também terá que arquivar o expediente disciplinar aberto contra os três, e deixará sem qualquer efeito as multas ou advertências impostas contra os outros nove fundadores – Arsenal, Chelsea, Liverpool, Manchester City, Manchester United, Tottenham, Atlético de Madrid, Milan e Inter de Milão –, que abandonaram o projeto após forte pressão pública.

Confira o comunicado na íntegra

“Barcelona, ​​Juventus e Real Madrid expressam a sua satisfação com a decisão judicial hoje adotada, ordenando a UEFA a revogar, com efeito imediato, todas as ações contra os clubes fundadores da Superliga Europeia, incluindo o ajuizamento definitivo do processo disciplinar aberto aos três clubes acima mencionados e para anular as multas e outras restrições que foram impostas aos restantes nove clubes fundadores, como condição para que não sejam sujeitos a processo disciplinar por parte da UEFA.

Desta forma, os tribunais mais uma vez apoiam a posição dos promotores da Superliga Europeia e indeferem o recurso interposto pela UEFA, confirmando o seu alerta de que o incumprimento desta resolução pode implicar sanções financeiras e responsabilidade penal. O caso será analisado pelo Tribunal de Justiça da União Europeia no Luxemburgo, que irá rever a posição de monopólio que a UEFA detém sobre o futebol europeu.

Temos o dever de enfrentar os desafios do futebol. A UEFA reivindicou o cargo, exclusivamente, de regulador, operador e único proprietário e gestor das competições europeias de futebol. Esta posição de monopólio, em conflito de interesses, prejudica seriamente o futebol e seu equilíbrio competitivo. Como foi demonstrado em várias ocasiões, os controles financeiros são inadequados e não têm sido aplicados objetivamente. Os clubes que participam em competições europeias têm o direito de governar as suas próprias competições.

Temos o prazer de saber que, a partir de agora, não estaremos sujeitos a constantes ameaças da Uefa. Continuamos empenhados no objetivo de desenvolver o projeto da Super Liga Europeia de forma construtiva e solidária, tendo em conta adeptos, jogadores, treinadores, clubes, ligas e associações e federações nacionais e internacionais. Estamos cientes de que há elementos de nossa proposta que devem ser revistos e, claro, aprimorados por meio do diálogo e do consenso. Continuamos a confiar no sucesso de um projeto que respeitará sempre as normas da União Europeia”.

Nos siga nas redes sociais: @leiemcampo

Nossa seleção de especialistas prepara você para o mercado de trabalho: pós-graduação CERS/Lei em Campo de Direito Desportivo. Inscreva-se!

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email

Últimas Notícias

Colunas

Seções

Assine nossa newsletter

Toda sexta você receberá no seu e-mail os destaques da semana e as novidades do mundo do direito esportivo.