Tendências no futebol europeu após a reforma da UEFA: vitória parcial dos grandes clubes europeus

Por Brice Beaumont

Para não correr o risco de piorar a situação, a UEFA está prestes a reformar a Champions League. Veja as mudanças e suas consequências na prática.

2024 será o ano das grandes mudanças para a Champions. O projeto de reforma da UEFA está prestes a ser adotado pelo Comitê Executivo da UEFA. Os objetivos são dois : aumentar o número de participantes e a receita dos clubes.

Veja aqui as últimas mudanças.

Qual é a principal mudança barrada? 

Uma participação automática dos grandes clubes (Barcelona, Juventus, etc)  sem necessidade de se qualificarem de ano em ano, como defendia o modelo da Superleague. Em um sistema de liga fechada a participação dependeria de outros fatores, como o índice UEFA do clube e/ou seu orçamento. A participação na Champions segue dependendo da classificação no campeonato nacional.

Porém, a preocupação principal será a inflação de jogos por temporada com quase 100 jogos a mais por temporada (passando de 6 a 10 rodadas, e de 96 a 180 jogos no total).

Quais são as consequências para os campeonatos em cada país? 

O primeiro impacto negativo é a baixa visibilidade, com uma provável queda de audiência. O espectador europeu não vai assistir mais jogos do que o habitual, já que as estatísticas mostram que a maioria é contra. A tendência é que ele mude seus hábitos, privilegiando a grande competição da Champions, em demérito dos campeonatos de cada país.

O segundo será sem dúvida econômico com um risco de evasão dos grandes patrocinadores nos campeonatos locais para a Champions, seguindo a tendência das audiências. Sendo assim somente com patrocínios menores ficando no nível nacional, haverá uma redução na arrecadação dos clubes menores.

Qual atitude dos clubes participantes dos dois campeonatos?

Devido ao aumento de jogos, junto à nova possibilidade de jogar a Champions na quinta-feira, os grandes clubes terão que mudar as escalações para o jogo de sábado ou domingo no campeonato local, para evitar que jogadores sejam lesionados.

Será mais provável que os jogadores mais eficientes em campo somente participem da Champions. A lesão de Neymar na última rodada do campeonato francês é um ótimo exemplo do que não deve acontecer. O PSG  jogará sem ele na terça-feira contra o Barcelona.

Nos siga nas redes sociais: @leiemcampo

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email

Últimas Notícias

Colunas

Seções

Assine nossa newsletter

Toda sexta você receberá no seu e-mail os destaques da semana e as novidades do mundo do direito esportivo.