Você vai pagar caro!

Ciclos de tecnologia e acontecimentos históricos trazem imensas mudanças sociais. O Mundo mudou com a energia elétrica, com a as 2 guerras mundiais, com o rádio, com a TV, com a internet . Com a pandemia, o 5G e o crescimento da internet, estamos vivenciando a história acontecer.

No que diz respeito às transmissões esportivas, as mudanças tem sido rápidas e drásticas. O conglomerado Globo com a tv aberta e seus canais de esporte foi por décadas protagonista na aquisição e exibição de eventos esportivos no Brasil.

Desde os jogos da Seleção, Olimpíadas e Copas Do Mundo, passando, pela Libertadores e pelos torneis nacionais até chegar aos estaduais, a Globo e o Sportv brigavam pelos direitos de transmissão e raramente alguma outra emissora conseguia tirar da vênus platinada alguma competição que lhe interessava.

Um desses raros momentos foram os Jogos Olímpicos de Londres (2012) que foram transmitidos em TV aberta pela Record. Mas, destaque-se, em TV fechada, os Jogos foram transmitidos pelo Sportv.

Ocorre que com a queda de audiência da TV aberta, a diminuição de assinantes e o crescimento dos streams, o Grupo Globo promoveu profundas mudanças e passou a redirecionar seus investimentos. Assim, a Libertadores foi para o SBT, Cariocão para a Record e Fórmula 1, para a Band.

A Globo, em litígio com a Conmebol, não adquiriu os jogos das Eliminatórias fora do Brasil, nem a Copa América que acabou indo para o SBT.

Em uma análise inicial a sensação é de que houve apenas um remanejamento de locais de exibição. Entretanto, as mudanças foram mais profundas. Antes, o Grupo Globo detinha os direitos de transmissão nas TVs aberta e fechada, bem como pela internet.

Nos novos contratos, as TVs abertas transmitirão apenas algumas partidas e foram criados sistemas pagos de stream ou pay per view. Quem quiser acompanhar todos os jogos de seus clubes pela Libertadores terão que assinar a TV paga (FOX) e o pay per view (Conmebol TV). A Copa América terá 11 jogos em TV aberta, os demais, por pay per view próprio. Sistema semelhante se deu no Campeonato Carioca.

A tendência, portanto, é que os torcedores tenham que assinar diversos produtos para poder acompanhar eventos esportivos que outrora eram transmitidos integralmente em TV aberta e TV fechada.

O Grupo Globo, por décadas, permitiu que os brasileiros acompanhassem as principais competições e eventos esportivos gratuitamente em TV aberta e nos pacotes básicos de TV por assinatura. Com o redimensionamento dos investimentos do Grupo, o torcedor terá que contratar vários serviços e pagará caro para acompanhar eventos esportivos.

Destaque-se que os grandes do streaming como Netflix e Amazon ainda não entraram nesse movimento, mas há uma tendência de que, em breve passem a buscar direitos de transmissão para oferecer em suas plataformas. Com isso, os valores das assinaturas tendem a aumentar ainda mais. O bom e velho rádio pode voltar a ter o protagonismo com transmissões esportivas gratuitas.
Prepare-se, torcedor, o Mundo e as transmissões esportivas estão mudando e você vai pagar caro por isso.

Nos siga nas redes sociais: @leiemcampo

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email

Últimas Notícias

Colunas

Seções

Assine nossa newsletter

Toda sexta você receberá no seu e-mail os destaques da semana e as novidades do mundo do direito esportivo.