Zé Rafael, do Palmeiras, é denunciado no STJD por expulsão contra o Flamengo

O meia Zé Rafael, do Palmeiras, foi denunciado pela Procuradoria do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) nesta quinta-feira (14) pela expulsão na partida contra o Flamengo, pela 20ª rodada do Campeonato Brasileiro. O julgamento do jogador, que pode pegar até seis jogos de suspensão, está marcado para a próxima terça, 19 de outubro.

Na súmula da partida, o árbitro Wilton Pereira Sampaio relatou o motivo da expulsão:

“Expulsei aos 50 minutos do segundo tempo, com o cartão vermelho direto, o atleta de número 08, Sr José Rafael Vivian, da SE Palmeiras, por assumir o risco de lesionar o adversário de número 05, Sr Willian Souza Arão da Silva, da equipe CR Flamengo, ao atingir a perna (panturrilha) em movimento continuado, com as travas da chuteira, com uso de força excessiva, que provocou arranhões e que a meia fosse abaixada até próximo do tornozelo”, descreveu.

“A ação se deu no contexto da disputa da bola, porém sem que pudesse ser jogada, pelo jogador expulso, porque a bola se encontrava a frente de seu adversário e ação foi praticada por trás, o atingido continuou jogando e o atleta expulso saiu de campo sem resistência”, completou.

O lance aconteceu nos acréscimos do segundo tempo, quando o meia atingiu Willian Arão com a sola da chuteira. Wilton Pereira foi chamado ao VAR e então apresentou cartão vermelho ao palmeirense.

Zé Rafael foi denunciado no artigo 254 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), que fala em punir quem praticar jogada violenta.

O que diz o art.254 do CBJD?

Art. 254. Praticar jogada violenta:

PENA: suspensão de uma a seis partidas, provas ou equivalentes.

§ 1º Constituem exemplos da infração prevista neste artigo, sem prejuízo de outros:

I – qualquer ação cujo emprego da força seja incompatível com o padrão razoavelmente esperado para a respectiva modalidade;

II – a atuação temerária ou imprudente na disputa da jogada, ainda que sem a intenção de causar dano ao adversário.

§ 2º É facultado ao órgão judicante substituir a pena de suspensão pela de advertência se a infração for de pequena gravidade.

§ 3º Na hipótese de o atingido permanecer impossibilitado de praticar a modalidade em consequência de jogada violenta grave, o infrator poderá continuar suspenso até que o atingido esteja apto a retornar ao treinamento, respeitado o prazo máximo de cento e oitenta dias.

§ 4º A informação do retorno do atingido ao treinamento dar-se-á mediante comunicação ao órgão judicante (STJD ou TJD) pela entidade de prática desportiva à qual o atingido estiver vinculado.

Crédito imagem: Marcos Ribolli

Nos siga nas redes sociais: @leiemcampo

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email

Últimas Notícias

Colunas

Seções

Assine nossa newsletter

Toda sexta você receberá no seu e-mail os destaques da semana e as novidades do mundo do direito esportivo.