A primeira vítima

A crise econômica gerada pela Covid-19 acaba de fazer a sua primeira vítima direta no futebol inglês: Wigan Atlhetic F.C.

Fundado em 1932 na cidade de Wigan, Grande Manchester, o clube-empresa entrou em administração (processo de recuperação de falência) tornando-se assim o primeiro clube do futebol inglês a sofrer (agora juridicamente) os efeitos da pandemia.

De acordo com o regulamento da competição que participa, a Championship, o efeito da entrada em administração por um clube é a perda de pontos. Neste caso 12 pontos. Caso Wigan termine a temporada fora da zona de rebaixamento, a punição será aplicada ainda nesta temporada. Caso termine na zona de rebaixamento, na temporada que vem, a de 2020/2021. Com seis partidas até o fim do campeonato, Wigan está em 14º na tabela de classificação, oito pontos acima da zona do rebaixamento.

Enquanto em campo a equipe parece ter engrenado desde a volta do campeonato no dia 20 de junho, vencendo as três partidas desde então, fora de campo a história é outra.

Depois de vencer a FA Cup (diga-se equivalente à Copa do Brasil) em 2013, muita coisa mudou. O rebaixamento da Premier League para a Championship ainda em 2013, marcou quase uma década bem sucedida para o modesto clube. Vendido em 2018 para uma corporação de Hong Kong, em maio deste ano foi vendido de novo para um fundo de investimento. Assim, cerca de um mês após a última venda encontra-se em situação muitíssimo frágil.

No direito inglês, a administração é um processo de insolvência pelo qual uma empresa é colocada sob o controle de um administrador para permitir-lhe alcançar certos objetivos estabelecidos por lei. O primeiro objetivo, por exemplo, é resgatar a empresa (ao invés de resgatar os negócios que a empresa exerce), para que possa continuar a operar como uma empresa ativa. Caso seja impossível, o administrador deve procurar obter o melhor resultado para os credores da empresa como um todo do que seria provável se a empresa fosse colocada em liquidação, sendo este o segundo objetivo. O terceiro objetivo, por sua vez, caso o primeiro e o segundo objetivos não forem possíveis, é coletar o que é de propriedade da empresa para fazer uma distribuição aos credores com garantias específicas ou preferenciais da empresa. Com o fim de auxiliar o administrador na implementação desses objetivos estatutários, a lei prevê uma moratória pela qual credores são proibidos de buscar processos legais contra a empresa enquanto ela estiver em administração.

Aguardamos agora o resultado desse processo. Aguardamos também para ver quantos outros clubes entrarão em administração nas próximas semanas. Com estimativas de que clubes da Premier League perdem em média 5 milhões de libras por jogo pela falta de torcedores nos estádios, o que sobra para os clubes das divisões mais baixas? A receita da transmissão de jogos salva vários clubes, mas imaginem aqueles que naturalmente não têm jogos transmitidos com frequência, terceira divisão e outras.

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email

Últimas Notícias

Colunas

Seções

Assine nossa newsletter

Toda sexta você receberá no seu e-mail os destaques da semana e as novidades do mundo do direito esportivo.