Aposentadoria do ciberatleta

No League of Legends, após a final da temporada é aberta janela de transferências e apesar das contratações nesse período chamarem a atenção (e serão discutidas aqui no eSport Legal), elas acabam sendo ofuscadas pelos anúncios de aposentadorias.

Nesta janela de transferências duas lendas anunciaram que vão pendurar seus mouses e teclados definitivamente: o jogador brasileiro Gabriel “Kami” Bohm e Yiliang “Doublelift” Peng.

No eSport Legal de hoje será analisada a duração da carreira de um jogador profissional de esportes eletrônicos e as razões pelas quais se aposentam.

Faixa etária dos jogadores de esporte eletrônico

A grande maioria das modalidades coletivas estabelece uma idade mínima para a participação em campeonatos, qual seja, 17 anos completos até o fim da temporada, com a finalidade de não desrespeitar o Artigo 7º, inciso XXXIII da Constituição Federal, que estabelece que não pode ser empregado o menor cuja idade for inferior a 16 anos.

Os clubes desportivos eletrônicos, ao identificar talentos mirins entre 14 e 16 anos fazem propostas para treiná-los e, muitos desses jogadores chegam a conviver na gaming house junto aos jogadores profissionais – apesar de não poderem competir profissionalmente.

A média de idade dos atletas varia muito de acordo com a modalidade, principalmente pelas características do jogo praticado como esporte. Por exemplo, a média de idade dos jogadores de Counter-Strike é de 24 anos, enquanto a média de idade dos jogadores de League of Legends é de 21 anos. Jogos como Fortnite terão sua média de idade.

A idade como fator para a aposentadoria

No futebol, normalmente a aposentadoria normalmente está ligada com alguma lesão ou com a idade do atleta, ambas relacionadas com a perda do rendimento dentro de campo.

No esporte eletrônico, já há estudos para determinar se o avanço da idade é fator decisivo para a perda de rendimento, um deles realizado pelo médico Todd Sontag, que concluiu que a coordenação entre os olhos e a mão, essencial para os eSports, começa a se deteriorar aos 25 anos de idade.

O Burnout e atualizações no jogo

Como se um ambiente competitivo onde é necessário manter sua capacidade física e motora em alto nível não fosse estressante o bastante, diversos esportes eletrônicos possuem uma rotina de atualizações frequente.

As atualizações nos jogos são extremamente comuns e frequentes e existem principalmente para que o jogo se mantenha relevantes no mercado. Além da inclusão de novos recursos, jogos que são praticados como esporte eletrônico são frequentemente alvos de atualizações para balancear a competição.

O League of Legends, por exemplo, recebe uma atualização toda a semana e o jogo é alterado de forma relevante toda temporada.

Essas atualizações demandam do jogador, além da capacidade de adaptação, horas e horas de estudo teórico do jogo para entender a forma como a atualização impactará o metagame, a fim de ter uma vantagem competitiva.

(Significado de metagame: termo utilizado para destacar quais são as estratégias mais eficiente dentro do ambiente de um game. Isso pode ser refletido na escolha de personagens, itens, comandos especiais e tomada de decisões.)

A rotina de treinos e estudo podem causar burnout, distúrbio caracterizado pelo estado de tensão emocional e estresse provocados por condições de trabalho desgastantes, sendo causa provável da maior parte das aposentadorias de jogadores de esporte eletrônico.

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email

Últimas Notícias

Colunas

Seções

Assine nossa newsletter

Toda sexta você receberá no seu e-mail os destaques da semana e as novidades do mundo do direito esportivo.