Brexit. Será que agora vai?

Amanhã será o fim de uma era. Uma era de esperançosa união entre países de uma das regiões mais conturbadas do mundo. Acredite se quiser, mas durante muitos séculos a Europa foi palco de guerras que mudaram a geopolítica global. Depois da Segunda Guerra Mundial, decidiu-se, por meio de inúmeros tratados internacionais, que o grande projeto de unificar a Europa, poderia ser a solução de paz entre os principais países europeus. Assim, no dia 1º de janeiro de 1973 o Reino Unido entrou para a Comunidade Europeia, que mais tarde se transformaria (em linhas gerais) na União Europeia.

Com o Brexit (a saída do Reino Unido da União Europeia), a partir do dia 1º de fevereiro de 2020, o Reino Unido não mais fará parte deste tão famoso bloco econômico. Com inúmeras leis a serem aprovadas para o reposicionamento e reorganização econômica, política e jurídica do Reino Unido pós-Brexit, estima-se pelo menos uma década para que o parlamento britânico coloque a “casa em ordem”.

Aos atletas nacionais de países pertencentes à União Europeia que ainda não vivem no Reino Unido, à partir de sábado sua entrada no país será muito mais difícil. Não será automático o direito de viver e trabalhar no Reino Unido como era o caso antes do Brexit. Os atletas europeus que não vivem no Reino Unido, deverão se submeter às regras imigratórias britânicas vigentes e aplicáveis aos nacionais de qualquer outro país.

Para o esporte que mais transaciona internacionalmente, o futebol, com o Brexit o Reino Unido deixa de ter o direito de admitir a entrada de europeus entre 16 e 18 anos. Casos como o de Paul Pogba e Cesc Fabregas, que vieram para a Premier League (pela primeira vez) antes dos 18 anos de idade, não mais acontecerão. Isto porque de acordo com o regulamento da FIFA para transferência internacional de atletas, a idade mínima para tal transferência é de 18 anos de idade, salvo em três exceções, uma delas sendo de menores entre 16 e 17 anos nacionais de países pertencentes à União Europeia – esses podiam livremente viver e trabalhar no Reino Unido sem qualquer dificuldade.

Essa situação acentua a importância da última janela de transferências da Premier League antes do Brexit, que encerra amanhã, 31 de janeiro de 2020 às 23h. Esta será a última janela de transferências, salvo mudanças no regulamento da FIFA, que as agremiações da Premier League poderão contratar jogadores europeus à partir dos 16 anos de idade. Na próxima janela (a menos que a FIFA ainda permita) só poderão ser contratados jogadores europeus a partir dos 18 anos de idade.

A contratação de jovens talentos antes dos 18 anos de idade era estratégia importante para as agremiações da Premier League. Essas promessas eram adquiridas a preços “baixos” na expectativa de uma venda super lucrativa no futuro. Trazia também igualdade de competição entre a Premier League e as demais ligas europeias na fonte de talentos. Com o Brexit, a Premier League fica dois anos atrás das demais ligas europeias na busca de jovens talentos.

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email

Últimas Notícias

Colunas

Seções

Assine nossa newsletter

Toda sexta você receberá no seu e-mail os destaques da semana e as novidades do mundo do direito esportivo.