Campeonatos encerrados – quem sobe e quem desce?

Por Alberto Caetano Chagas

França, Holanda, Argentina, são alguns exemplos de países onde Campeonatos de futebol foram encerrados. Nestes países algumas decisões equivocadas foram tomadas nas quais o princípio da legítima confiança não foi preservado.

Na Argentina, San Martin de Tucumán e Atlanta, equipes que estavam na série B do torneio argentino, lideravam o campeonato e estavam muito próximos de ascender a divisão de Elite do Campeonato argentino.

Sabe-se das consequências geradas pela pandemia, tais como afastamento social, reclusão, imprevisibilidade. E foi com estes ingredientes que a AFA (Asociacion de Futbol Argentino), tomou a decisão de encerrar o campeonato Argentino temporada 2019/2020.

A decisão segue seu Estatuto no artigo 85:

“Artículo 85 Casos no contemplados y de fuerza mayor El Comité Ejecutivo tendrá la potestad de decidir sobre casos de fuerza mayor y sobre todas aquellas cuestiones que no se especifiquen en este estatuto. Las decisiones deberán tomarse de manera justa y legal, tomando en consideración la regulación pertinente de la FIFA y de la CONMEBOL.”

Este artigo contempla a “Força Maior”; sim, a pandemia traz realmente uma força maior para tomada de decisões deste porte, mas além do término antecipado do Campeonato, tomou-se a decisão de 2 anos sem rebaixamentos ou sem ascender nenhum time. Isso fere o próprio estatuto que diz “todas as decisões devem ser tomadas de maneira justa e legal”. Acontece que mudar das regras do campeonato é ilegal. Não existiu esportividade e nem justiça nesta decisão.

Um caso muito parecido aconteceu em 2019, no Chile, onde a ANFP sagrou-se campeã com 6 rodadas ainda por jogar, mas que por questão de segurança (aconteciam violentos protestos em todo o país), a “Força Maior”, veio novamente para atuar na decisão do encerramento do Campeonato. O fato interessante e que gerou controvérsia, foi de que tivemos um campeão na série A (Universidad Católica), mas não existiu um campeão na Série B, o que daria direito ao time de disputar a primeira divisão em 2020.

O time afetado foi o Santiago Wanderers, que liderava a Série B do campeonato e muito próximo da Elite Chilena em 2020. A ANFP decidiu não ter rebaixamentos e claro que com essa decisão, ninguém iria subir também.

Wanderers entrou na justiça e ganhou o direito de disputar o campeonato 2020 na elite do futebol chileno, veja a decisão:

“Solicitamos dejar sin efecto el acuerdo del Consejo de Presidentes de la ANFP, de fecha 29 de noviembre de 2019, en lo que dice relación con Santiago Wanderers, ordenando a la recurrida

disponer los actos necesarios para proclamar campeón del torneo de Primera B 2019 al Club de Deportes Santiago Wanderers SADP, asignarle el derecho a ascender a la Primera División del fútbol profesional chileno para la temporada 2020″.

Voltando à decisão da AFA, San Martin de Tucumán e Atlanta, teriam o conquistado em campo e durante o transcurso do futebol. A jurisprudência do CAS diz: “As questões desportivas devem resolver-se em conformidade com os princípios gerais do Direito Desportivo”. E diz mais: “Os campeonatos completos devem ser uma verdadeira prova das melhores habilidades técnicas, atléticas, de treinamento e gestão possíveis”. Segue decisão abaixo:

Tendo em vista estes casos que tanto repercutem e repercutiram no passado que se vê no Brasil sérios problemas para o término dos campeonatos estaduais. Como as federações irão tratar os times?

A lei existe, os princípios devem aplicados e respeitados. Mas a questão que fica é: Quem sobe e quem desce?

……….

Alberto Caetano Chagas é advogado, representante de atletas, trabalha com futebol desde 2010.

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email

Últimas Notícias

Colunas

Seções

Assine nossa newsletter

Toda sexta você receberá no seu e-mail os destaques da semana e as novidades do mundo do direito esportivo.