Cazarez, de craque a problema. Clube poderia ter feito diferente

O meia do Atlético Mineiro Juan Cazares pode deixar o clube de Belo Horizonte após ele ter se atrasado para a concentração no primeiro jogo da final do estadual.

Segundo informações publicadas pela imprensa, o jogador equatoriano teria deixado a diretoria do clube irritada após o ocorrido, e ela já estaria discutindo a possibilidade de o meia sair do clube.

Dúvidas relacionadas à real condição do atleta, que jogou apenas 18 minutos na final do estadual mineiro, também vieram à tona. Sentindo dores, ele não foi relacionado para os últimos jogos mesmo com a liberação do departamento médico.

Essas condutas poderiam ser evitadas se existisse para os atletas uma orientação por meio de regras e diretrizes internas.

Os regulamentos internos têm a finalidade de ordenar todas as diretrizes esperadas pela instituição para os seus colaboradores, parceiros, patrocinadores e demais investidores. Além disso, explanam o funcionamento e suas punições em casos de descumprimentos. Vale lembrar que a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) permite a criação de regras internas desde que não contrariem a lei.

Regulamentos internos são muito importantes para a saúde da instituição.

Empresas ao redor do mundo adotam códigos de ética como uma ferramenta gerencial que tem permitido uma padronização nos comportamentos dos seus empregados e parceiros. Tornam o ambiente de trabalho mais harmonioso. Padrões comportamentais propiciam para o grupo regras mais transparentes e, quando for o caso, multas (punições) mais razoáveis.

Profissionalismo gera profissionalismo. Falta de informação pode gerar a ideia de falta de transparência de ambos os lados na relação empregado/empregador.

Uma conduta de indisciplina gera reflexo negativo para colegas, comissão técnica, diretoria, instituição, para a carreira do próprio jogador e, principalmente, para o espírito esportivo.

Ao colocar as cores do clube, o jogador precisa entender que ele é um representante daquela instituição, daquele grupo, daquela torcida e daqueles patrocinadores. Práticas desonestas, rebeldes e de falta de disciplina podem, devem e precisam de repreensão.

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email

Últimas Notícias

Colunas

Seções

Assine nossa newsletter

Toda sexta você receberá no seu e-mail os destaques da semana e as novidades do mundo do direito esportivo.