Direito Desportivo: muito obrigado!

Por Carlos Ramalho

Não escolhi o Direito Desportivo. Ele me escolheu. E que alegria por isso.

Quando iniciei a graduação em Direito – eu já era formado em Administração e Pós-Graduado em Gestão da Qualidade – meu desejo era me especializar no segmento do Direito Constitucional, afinal sempre gostei de temas ligados ao legislativo.

Ocorre que no 4º período do curso conheci aquele que seria meu mestre e referência na área. Aquele que me abriria portas para um segmento totalmente novo a ser desbravado. Aquele que acreditaria no meu potencial e não mediria esforços para me oportunizar espaço e conhecimento.

Estou falando do meu amigo e professor Gustavo Souza, a quem rendo minhas homenagens e agradecimentos.

A partir de então, inúmeras sementes foram sendo lançadas e os frutos se deram a germinar através de muito trabalho, cooperação, comprometimento e acima de tudo a vontade de ser útil em prol de um propósito maior, cujo objetivo, outro nunca foi, senão, SERVIR!

E que privilégio Deus tem me dado em exercer o múnus do SERVIR através de atuação na Justiça Desportiva, da participação em eventos, palestras, organização de livros, de integrar como membro, entidades desportivas de excelência.

Meu coração se alegra pela humilde contribuição em prol da difusão do Direito Desportivo. Eis que por meio dele, alguns sonhos já se materializaram e sei que outros estão a caminho.

Dentro do contexto acima, o ano de 2021 finalizou com saldo mais que positivo e, alguns apontamentos merecem destaques.

Foi uma honra ter participado outra vez mais como um dos organizadores do III Vol. da obra “Direito Desportivo Exclusivo – Estudos em Homenagem ao Prof. Àlvaro Melo Filho”, a qual se encontra à disposição da comunidade jusdesportiva.

Honra, também, ter participado do 1º Seminário Internacional de Direito Desportivo da Língua Portuguesa. O evento foi promovido pela Academia Nacional de Direito Desportivo (ANDD), da qual integro com muita alegria a Comissão Jovem (ANDDJ) e a Associação Portuguesa de Direito Desportivo (APDD). Que responsabilidade ter mediado o painel sobre Racismo e Discriminação Racial no Desporto. Não posso deixar de registrar a imensa alegria de dividir a bancada virtual com Mauro Silva, ídolo e referência da Copa de 94, além da acadêmica Dra. Juliana Camões da ANDDJ, da Dra. Adelaide Modesto e do Dr. Diogo Rodrigues de Portugal.

A pandemia demonstrou o quanto é preciso ter um olhar solidário ao próximo. E, foi nesse contexto, que a ANDD juntamente com IBDD, SBDD, IIDD, FUTCLASS, ENAJD, FUTJUR e LEI EM CAMPO, encamparam o Projeto Driblando a Fome. Que iniciativa sensacional. Verdadeiro gol de placa. Que alegria ter participado desse momento transformador na história do desporto brasileiro.

Que alegria ter participado do 1º Congresso de Direito Desportivo realizado pela Academia Mineira de Estudos Desportivos (AMED). Naquela oportunidade tive a alegria de dividir a bancada virtual com o Dr. Diogo Medeiros e a Dra. Ana Paula Terra onde falamos sobre um tema caro ao desporto: Liberdade de Expressão.

Participei também do Webinar promovido pela ANDD com o tema “Direito e Jogos Olímpicos: Repercussões Jurídicas e Econômicas em Tempos de Pandemia”. Que alegria dividir a bancada virtual com os acadêmicos: Dr. Diogo Medeiros, Dra. Ana Paula Terra e o Dr. Alexandre Mestre (Portugal). Ali falamos sobre a realização dos jogos olímpicos e os reflexos impostos pela pandemia.

Participei, também do SBDDay, evento de lançamento da nova gestão da Sociedade Brasileira de Direito Desportivo (SBDD), da qual muito me alegra participar como membro. E, que alegria dividir a coordenação cientifica com a Dra. Flavia Zanini na obra editada em homenagem ao Prof. Angelo Vargas.

Por último, mas não menos importante, tive a grata satisfação de participar, a convite do Gustavo Souza, como organizador do livro “Direito Desportivo: Primeiras Linhas”. A obra contou com participações de atuantes personalidades no DD, bem como autores que estão iniciando os primeiros passos na área. A ideia foi ofertar uma literatura de fácil manuseio sobre os mais diversos temas atinentes ao Direito Desportivo. E, posso afirmar que o objetivo proposto foi alcançado.

Que alegria elencar algumas das muitas realizações no decorrer do ano de 2021. E, longe de se pretender qualquer promoção pessoal.

Sabe aquela sensação de se estar cumprindo um chamado vocacionado? De se ver produtivo em prol da construção de conhecimentos e saberes em prol da academia/sociedade?

É assim que me sinto.

E, quem me conhece sabe da minha predileção pelas palavras. Do gosto pela escrita.

E, que alegria foi receber o convite do amigo Andrei Kampff para contribuir mensalmente com o Portal Lei em Campo.

O que dizer de 2021?

Apenas agradecer a Deus por tamanha bondade e privilégio de conhecer, viver e conviver com pessoas que tanto admiro e aprendo.

2022 já chegou e com eles novas expectativas e esperanças.

Estejamos, pois, preparados para difundir cada vez mais o Direito Desportivo.

Obs: Um conselho aos estudantes de direito. Estejam com o coração aberto as oportunidades. Jamais se prenda cegamente ao caminho projetado. Quando o novo/desconhecido bater a sua porta, DESBRAVE-O.

Crédito imagem: Flicker

Nos siga nas redes sociais: @leiemcampo


Carlos Ramalho é Administrador; Bacharel em Direito; Pós-Graduado MBA em Consultoria e Gestão Empresarial; Membro da Comissão Jovem da Academia Nacional de Direito Desportivo (ANDDJ); Assessor da Presidência da Sociedade Brasileira de Direito Desportivo (SBDD); Auditor Auxiliar do Pleno do STJD do Futebol; Auditor do Pleno do STJD da Confederação Brasileira de Futebol de 7; Organizador e Autor de livros e Artigos.

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email

Últimas Notícias

Colunas

Seções

Assine nossa newsletter

Toda sexta você receberá no seu e-mail os destaques da semana e as novidades do mundo do direito esportivo.