#esportedasletras traz obra sob doping e dignidade humana

O doping é um inimigo do esporte. Ele ataca dois dos princípios mais caros do movimento esportivo, o jogo limpo e a paridade de armas. Por isso, as penas costumam ser pesadas. Mas como fica a dignidade humana de um atleta que tem no esporte sua profissão?

Essa a reflexão proposta pela advogada Flavia Zanini na obra “Excesso Punitivo do Doping- A Pena de Morte Desportiva”. A autora, presidente da Sociedade Brasileira de Direito Desportivo e colaboradora do Lei em Campo, constrói a reflexão mergulhando em dezenas de processos antidopagem, analisando penas e princípios inerentes aos Direitos Humanos.

Claro que o doping precisa ser combatido, mas a razoabilidade e a proporcionalidade são elementos indispensáveis no direito na busca pela justiça. Uma pena de 4 anos por doping é quase como uma sentença de morte profissional para um atleta de elite. Pode – inclusive – retirar um atleta de dois ciclos olímpicos.

O esporte tem – até como proteção constitucional – compromisso social e não pode se afastar da necessária proteção de direitos humanos. O esporte é capaz de tirar jovens das ruas, mostrar uma possibilidade saudável de crescer, competir e dar o melhor de si. E, a partir daí, se tornar a atividade econômica de uma família.

Em uma obra bem trabalhada, de profunda pesquisa e fácil leitura, Flavia consegue apresentar as questões econômicas, sociais e organizacionais do esporte, mas com o necessário olhar da proteção humana.

Um texto para ler, pensar, debater e avançar.

Excesso Punitivo do Doping- A Pena de Morte Desportiva

Flavia Zanini

148 páginas

Nos siga nas redes sociais: @leiemcampo

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email

Últimas Notícias

Colunas

Seções

Assine nossa newsletter

Toda sexta você receberá no seu e-mail os destaques da semana e as novidades do mundo do direito esportivo.