Liderança em bronze

Ninguém tem dúvidas de que está cada vez mais difícil de achar um grande líder no futebol. Seja dentro, seja fora de campo, gênios que motivam, inspiram, ensinam, disciplinam e apaixonam estão cada vez mais raros. Quem tem ou teve deve agradecer e reverenciar.

Uma referência dentro de campo pode reverter um placar negativo ou até mesmo tornar realidade uma conquista improvável. Gênios que usam chuteiras podem assumir a responsabilidade nos cenários mais adversos e entrar para a história de toda uma geração. Raí, Falcão, Marcos, Alex, muitos são os craques que tinham esse “dever” de fazer a diferença – digo “dever” porque eles mesmos assumiram esse papel de protagonismo.

Entretanto, do lado de fora das quatro linhas também há espaço para referências. Mentes extraordinárias que conseguem transformar jovens em estrelas e, ainda, recuperam jogadores esquecidos, transformando-os em gigantes nos grandes desafios. Telê Santana, Pep Guardiola, José Mourinho ou Jurgen Klopp, técnicos de futebol que, com palavras, estudos, disciplina, trabalho e gestão de grupo se transformam também em inspirações e ajudaram a transformar o jogo de futebol em grandes espetáculos.

Já pensou em ter esses dois profissionais na história do seu clube? O Grêmio conseguiu isso com em uma única pessoa, Renato Portaluppi.

Campeão da Libertadores e do Mundial Interclubes pelo time gaúcho em 1983 como jogador, e Campeão da Libertadores em 2017 como treinador, Renato Gaúcho, como é chamado, teve o seu feito reconhecido pelo clube de Porto Alegre.

Com quatro metros de altura e colocada em frente à Arena do Grêmio, a estátua em bronze eternizou o maior ídolo do tricolor gaúcho. Retratando o momento da comemoração do segundo gol de Renato na conquista do Mundial, a homenagem brinda não apenas o que o atleta fez, mas também o que o treinador ainda vem fazendo no time do Rio Grande do Sul desde 2016 – um dos técnicos que mais tempo estão à frente da mesma equipe.
Isso só foi possível graças ao respaldo que Renato teve de uma diretoria que o apoiou e conseguiu manter o treinador mesmo depois de muito assédio. A liderança do presidente do clube, Romildo Bolzan Junior, tem aí papel fundamental.

O atual presidente, cumprindo o seu segundo mandato de três anos de duração, teve mais de 85% dos votos na reeleição – reconhecimento ao trabalho da direção. Com Romildo, o Grêmio se organizou politicamente, financeiramente e futebolisticamente. Além de colocar as contas em dia, melhorou a governança e, como prêmio, ainda vem ganhando títulos.

Com a combinação de gestores inteligentes como Romildo Bolzan Junior à frente do clube e com Renato Gaúcho à frente dos atletas em campo, o Grêmio se tornou um dos principais times do futebol brasileiro dos últimos anos. Com decisões estratégicas em ambos os departamentos, é inspiração de gestão para muitos clubes brasileiros.

Visão, gestão de pessoas, trabalho em equipe, confiança e motivação são definições que representam os méritos que a gestão do Grêmio tem apresentado. Os frutos aparecem nos resultados dentro e fora de campo. E na estátua que o clube acabou de inaugurar.

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email

Últimas Notícias

Colunas

Seções

Assine nossa newsletter

Toda sexta você receberá no seu e-mail os destaques da semana e as novidades do mundo do direito esportivo.