O caminho para o profissional de esporte eletrônico

Os métodos de treinamento e de seleção de jogadores nos esportes analógicos contam com décadas de aprendizado e de pesquisas científicas para sua aplicação. O mesmo não pode ser dito dos esportes eletrônicos.

Os profissionais que procuram novos talentos e cuidam da rotina dos atletas de esporte eletrônico podem, sim, utilizar materiais feitos para o esporte analógico, porém a adaptação das teorias e métodos é inevitável.

Quando se fala de procura de novos talentos, deve-se ter em mente que a cultura do esporte eletrônico não é forte no Brasil – os pais não procuram escolinhas de eSports como procuram escolinhas de futebol para matricular seus filhos.

No esporte analógico, as crianças que se destacam nas escolinhas logo são chamadas ou procuram as categorias de base dos grandes clubes e ali começam a carreira. Mas e no eSport? Como começa e evolui a carreira dos ciberatletas?

Cenário de eSports não permite testes

O cenário de esportes eletrônicos, apesar de já apresentar ótimos números e imenso crescimento, ainda é amador em diversos aspectos. A formação de jogadores é um deles.

Os clubes brasileiros, por ainda não terem receita tão alta, não contam com categorias de base (com exceção da CNB eSports Club, o que será explicado mais à frente), fazendo com que a descoberta e formação de novos talentos seja extremamente rara.

A janela de transferências do League of Legends brasileiro é comumente chamada de “Dança das cadeiras”, pois em sua maioria as contratações são sempre dos mesmos jogadores, com algumas novidades vindas de fora do país e quase nenhum novo talento brasileiro.

A falta de categoria de base é um fator para que isso aconteça, mas existem outros, como a grande competitividade e riscos de investimentos das competições brasileiras.

A temporada é curta, e arriscar pode ser fatal, podendo custar o rebaixamento e perda de vagas, que não são baratas.

Por tudo isso, só conseguem jogar em um clube que participa da primeira divisão (CBLOL) ou segunda divisão (Circuito Desafiante) jogadores já estejam prontos para esses desafios, sem espaços para testes.

Mas então, como um jogador que sonha em ser profissional chega lá?

Caminho tradicional

O caminho que a maior parte dos ciberatletas que estão no topo hoje traçaram depende muito de sorte e contatos, e não só da habilidade do jogador. Os passos são simples de explicar, mas não de executar.

Chegar ao topo do ranking

Quando você iniciar uma partida, é possível escolher se você quer jogar uma partida casual ou uma partida ranqueada. Caso escolha a partida ranqueada, aquela partida contribuirá para seu ascenso e descenso na tabela de jogadores. Quanto mais você subir, maior será a probabilidade de você jogar com e contra os jogadores profissionais, pois eles também jogam essas partidas ranqueadas.

Fazer contatos, não fazer inimigos, e aproveitar oportunidades

O momento em que você começa a jogar junto com os melhores, que já têm vagas nos maiores clubes brasileiros, é o momento em que você tem que jogar o seu máximo. Jogar mal e brigar com algum desses jogadores é algo que mancha sua reputação, fazendo com que portas se fechem; de outro lado, jogar bem e ter um bom relacionamento pode ser algo que abra portas.

A indicação de outros jogadores é a única coisa capaz de fazer com que um clube o chame para fazer um teste, pois é pra eles que os managers e treinadores pedem indicações. Streams também são uma vitrine. Vários dos jogadores que estão no topo do ranking realizam transmissões online de suas partidas.

Por isso, é interessante ficar atento a se algum desses famosos estão na sua partida, pois milhares de pessoas podem estar vendo você jogar – uma delas pode lhe dar uma oportunidade. Destacar-se e ter bom relacionamento naturalmente trará convites para testes em clubes.

Caminho alternativo: Peneira Preparando Campeões

O CNB eSports Club entende que existem jogadores que apresentam o conjunto de qualidades para ser um ótimo jogador profissional, mas por alguma razão não conseguiram chegar ao topo do ranking. Por isso, o clube se interessa em buscar esses jogadores, que fora do jogo são profissionais e competentes, mas que, dentro do jogo, ainda apresentam falhas e oferecem a eles um plano de carreira dentro de sua Escola Preparatória de Atletas.

A seleção de jogadores funciona de forma parecida com a peneira esportiva que os clubes de futebol fazem pelo Brasil, oferecendo, portanto, um caminho alternativo para se tornar profissional. Todo ano o CNB abre a Peneira Preparando Campeões, que inclusive está com as inscrições abertas atualmente – basta acessar este link.

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email

Últimas Notícias

Colunas

Seções

Assine nossa newsletter

Toda sexta você receberá no seu e-mail os destaques da semana e as novidades do mundo do direito esportivo.