O Kickboxing como esporte olímpico

Por Elthon José Gusmão da Costa1

A Associação Mundial de Organizações de Kickboxing (WAKO) foi reconhecida2 junto com outras cinco organizações na 138ª sessão do Comitê Olímpico Internacional.

O dia 20 de julho de 2021 se tornou um dia significativo na história do kickboxing, quando a WAKO recebeu o reconhecimento oficial do COI. Este é um passo importante na direção certa para uma associação que espera um dia trazer as artes marciais esportivas para as Olimpíadas para se juntar a outros esportes de combate como Taekwondo e Judô.

A WAKO3 é predominantemente baseada na Europa, mas seus eventos atraem consistentemente competidores de outros continentes. O reconhecimento concedido na recente reunião do COI foi especificamente para o esporte kickboxing.

Ser reconhecido pelo COI significa que as federações cumpriram os requisitos da Carta Olímpica, como o número de eventos, aclamação global e programas de testes compatíveis com a WADA.

Atualmente, existem cinco esportes de combate nas Olimpíadas: boxe, taekwondo, luta livre e judô. Com a crescente popularidade dos esportes de combate, o anúncio de potenciais recém-chegados não surpreende. Com grande interesse do público, a Federação Internacional de Artes Marciais Mistas (IMMAF) continua trabalhando duro para que o MMA seja reconhecido. Além do kickboxing, as federações de Muay Thay e Sambo receberam reconhecimento total.

O COI tem uma lista de critérios que entram em jogo ao decidir se incluirão um esporte nas Olimpíadas ou não. Nem todos os requisitos têm o mesmo peso, portanto, existem apenas alguns cruciais para entrar nas Olimpíadas. O problema é que a maioria dos critérios é totalmente subjetiva e, em última análise, apenas o Comitê pode decidir se aceita ou não uma inscrição.

Uns dos primeiros critérios a se considerar é a popularidade. O esporte em questão deve ser popular em todo o mundo, e deve haver um grande número de praticantes em um grande número de países. O kickboxing certamente se encaixa nesse critério, com milhões de lutadores competindo em 129 países do mundo.

Outro critério importante é a igualdade de gênero. É preciso haver praticantes de ambos os sexos para que o esporte seja sequer considerado. A igualdade é um dos valores olímpicos, e um esporte deve representar esses valores. Mais uma vez, o kickboxing também atende a esse critério.

De importância crucial também é o critério da institucionalização do esporte. Ou seja, existem organizações globais que unificam e governam o esporte para ter regras unificadas em todo o mundo? A organização interna desses órgãos sociais é também essencial, bem como a sua situação financeira. A WAKO é muito bem organizada e gerencia sete tipos diferentes de kickboxing, então este critério está coberto.

Ao final, precisamos tratar do critério da imagem do esporte, talvez o mais importante. Kickboxing ainda é amplamente considerado como um esporte violento e agressivo. Houve muito progresso tanto na percepção do esporte quanto nas mudanças de regras para torná-lo mais aceitável, mas ainda há um longo caminho a percorrer se veremos o kickboxing moderno e de contato total nos Jogos Olímpicos.

Um esporte pode ganhar o reconhecimento do COI, mas não se tornar um evento competitivo nos Jogos Olímpicos. Boliche e xadrez são esportes reconhecidos, mas não competem nos Jogos.

Para fazer parte dos Jogos, a FI (Federação Internacional) do esporte deve solicitar a admissão enviando uma petição estabelecendo seus critérios de elegibilidade ao COI. O COI pode então admitir uma atividade no programa olímpico de três maneiras diferentes: como esporte; como disciplina, que é um ramo de um esporte; ou como um evento, que é uma competição dentro de uma disciplina. Por exemplo, o triatlo foi admitido como esporte, estreando nos Jogos de 2000 em Sydney.

A luta livre feminina foi uma nova disciplina no esporte de luta livre nos Jogos de Atenas, e o salto com vara feminino estreou em Sydney como um evento de atletismo. As regras de admissão variam ligeiramente entre um novo esporte, uma disciplina e um evento, mas a intenção é a mesma.

Uma vez que uma FI tenha apresentado sua petição, muitas regras e regulamentos controlam se o esporte fará parte dos Jogos Olímpicos. A Carta Olímpica4 indica que, para ser aceito, um esporte deve ser amplamente praticado por homens em pelo menos 75 países e em quatro continentes e por mulheres em nada menos que 40 países e em três continentes.

O esporte também deve aumentar o “valor e apelo” dos Jogos Olímpicos e manter e refletir suas tradições modernas. Existem inúmeras outras regras, incluindo proibições de esportes puramente mentais e esportes dependentes de propulsão mecânica. Essas regras mantiveram o xadrez, as corridas de automóveis e outros esportes reconhecidos fora dos Jogos Olímpicos.

Falando especificamente do reconhecimento olímpico do kickboxing, é importante retratarmos sua origem até chegarmos ao estado que o esporte hoje se encontra. O nascimento da modalidade remonta às antigas formas de boxe usadas pelos soldados siameses no século 11. Essas evoluíram para um meio de exercício físico, recreação e autodefesa, passando a ser praticado em eventos esportivos, nos quais foram estabelecidas regras e os participantes passaram a usar luvas e outros equipamentos de proteção durante os sparrings. Daí nasceu o chamado Muay Thai.

De acordo com Jennings (2021)5, o Muay Thai é o esporte nacional da Tailândia, anteriormente conhecido como Sião, e um dos esportes de luta mais respeitados e amados do mundo. Textos do período de Ayutthaya, por volta de 1351-1767 EC, mencionam o Muay Thai como um evento de premiação associado a festivais e, claro, jogos de azar.  A lenda da origem do Muay Thai data do século XVIII, quando o soldado siamês Nai Khanom Tom foi capturado pelos birmaneses.

Nesta história de origem, Nai Khanom Tom foi preso e forçado a lutar contra dez lutadores birmaneses em competição, todos os quais ele derrotou. Ele então recebeu sua liberdade, juntamente com a liberdade de seus companheiros soldados siameses. Esta história pode ser apócrifa, mas continua a fazer parte da lenda do esporte, com 17 de março designado “Boxing Day” para comemorar a vitória de Nai Khanom Tom.

Nesta senda, o kickboxing começou a ser idealizado através de apreciadores do muay thai. O sucesso dos Jogos Olímpicos organizados no Japão em 1964 e a inauguração do Shinkan-sen (trem-bala) nesse mesmo ano colocaram o Japão entre os países mais avançados e líderes do mundo.

Nesse contexto favorável, o japonês Osamu Noguchi (1934-2016), o idealizador do esporte e promotor de boxe, decidiu começar a tornar seu projeto realidade e batizou seu esporte com a palavra anglo-saxônica Kickboxing6. Um nome de dimensão internacional, perfeito para promover uma expansão futura possível e planeada em todo o mundo.

O muay thai foi o modelo utilizado para a criação do kickboxing. Este último assimilou todo o arsenal técnico da arte tailandesa, combinando com técnicas de karatê e boxe inglês. A Associação de Kickboxing, o primeiro órgão sancionador de kickboxing, foi fundada por Osamu Noguchi em 1966.

Pouco depois, outros promotores de Kickboxing também surgiram no Japão que usavam regras semelhantes às do Muay Thai. Na década de 70, com a chegada do estilo americano e da WKA ao Japão, tendo Benny Urquidez (1952-) como maior expoente, as regras foram se modificando gradativamente e surgiu o estilo internacional.

Então, o primeiro evento de kickboxing foi realizado em Osaka no dia 11 de abril de 1966. A modalidade cresceu e se tornou popular no Japão quando começou a ser transmitido na TV. Tadashi Sawamura7 (1943-2021) foi um dos primeiros kickboxers a se tornar popular. No entanto, o boom veio e se foi depois que Sawamura se aposentou. Em 1993, Kazuyoshi Ishii8 (1953-), fundador do karate Seidokan, produziu o K-1 sob as regras especiais do kickboxing (sem golpe de cotovelo e no pescoço), tornando a modalidade famosa novamente.

Vale citar algumas das promoções mais populares e de elite, onde podemos assistir os melhores kickboxers do mundo competirem.

GLORY Kickboxing9

O GLORY Kickboxing surgiu em 2012 e rapidamente se tornou a promoção profissional de Kickboxing mais prolífica e de elite do mundo. Promove as mesmas regras e valores do K-1 e tem os melhores kickboxers do mundo disputando os títulos. Algumas das maiores lendas do Kickboxing do mundo competiram em um ringue do GLORY Kickboxing, como Peter Aerts, Semmy Schilt, Remy Bonjasky e outros.

ONE Championship10

Mais uma organização de Kickboxing de primeira linha é a maior promoção de artes marciais profissionais asiáticas do mundo. É uma organização muito jovem, mas ganhou muita popularidade e tem alguns dos melhores lutadores do mundo competindo lá. Outra coisa que separa o ONE Championship das outras promoções mencionadas é que ele inclui Kickboxing, MMA e Muay Thai, cada um em suas respectivas regras.

Ganhar um título WAKO é muito prestigioso, mas a verdadeira popularidade do Kickboxing está nessas promoções profissionais. Os melhores lutadores do mundo competem nessas organizações como profissionais pagos. Foi um longo caminho para o kickboxing até o reconhecimento olímpico, o que só aumentará a popularidade da modalidade.

Nos siga nas redes sociais: @leiemcampo


REFERÊNCIAS

BARCENA, David Leonardo. Historia del Kickboxing En Japón: del Muay Thai Al K-1. [S. l.s. n.], 2020. ISBN 9781549802974. 294p.

SANCHES, Eros José. Ikken Hissatsu: as origens do karate-do. União da Vitória, PR: Kaygangue LTDA, 2021. 676p.

JENNINGS, L. A. Thailand. Mixed martial arts: a history of ancient fighting sports to the UFC. United Kingdom: The Rowman & Littlefield Publishing Group, Inc, 2021. ISBN 9781538141953. 226p.

1Advogado trabalhista e desportivo. Pós-graduado em Processo Civil pela Faculdade Unileya. Pós-graduando em Direito Desportivo pelo Complexo Educacional Renato Saraiva (CERS). Membro do Instituto Brasileiro de Direito Desportivo (IBDD). Membro da Diretoria e Pesquisador do Grupo de Estudos e Desporto São Judas (GEDD-SJ).

2Press release: IOC session accepted WAKO application for Full Recognition. In: wako.sport. Site. Disponível em: https://wako.sport/news/press-release-ioc-session-accepted-wako-application-for-full-recogniti/. Acesso em: 25 fev. 2022.

3WORLD ASSOCIATIONS OF KICKBOXING ORGANIZATIONS. InOlympics.com. Site. Disponível em: https://olympics.com/ioc/recognised-international-federations/world-association-of-kickboxing-organizations. Acesso em: 25 fev. 2022.

4Olympic Charter. InOlympics.com. Site. Disponível em: https://olympics.com/ioc/olympic-charter. Acesso em: 24 fev. 2022.

5JENNINGS, L. A. Thailand. In: MIXED martial arts: a history of ancient fighting sports to the UFC. United Kingdom: The Rowman & Littlefield Publishing Group, Inc, 2021. cap. Putting the “Martial” in Martial Arts, p. 61. ISBN 9781538141953.

6Encontramos a palavra Kickboxing, referindo-se ao savate francês, no jornal australiano “Daily Telegraph” de 4 de agosto de 1940. E também a palavra kickboxer em uma publicação de 1921, também referindo-se ao savate. Osamu Noguchi, por sua vez, cunhou esse termo novamente anos depois, sem dúvida desconhecendo esse pano de fundo.

7Tadashi Sawamura. In: hmong.es. Site. Disponível em: https://hmong.es/wiki/Tadashi_Sawamura. Acesso em: 24 fev. 2022.

8Kazuyoshi Ishii. In: peoplepill.com. Site. Disponível em: https://peoplepill.com/people/kazuyoshi-ishii. Acesso em: 24 fev. 2022

9Glory Kickboxing. In: glorykickboxing.com. Site. Disponível em: https://www.glorykickboxing.com. Acesso em: 24 fev. 2022

10One Championship. In: onefc.com. Site. Disponível em: https://www.onefc.com. Acesso em: 24 fev. 2022.

 

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email

Últimas Notícias

Colunas

Seções

Assine nossa newsletter

Toda sexta você receberá no seu e-mail os destaques da semana e as novidades do mundo do direito esportivo.