Planejamento estratégico e o sucesso do Flamengo

O Flamengo vem dando uma aula de futebol dentro e fora de campo. O clube que nos últimos anos se reestruturou financeiramente conseguiu beirar a excelência também.  Mas isso, como sabemos não é do dia para anoite, mudanças que vem desde 2013 foram importantes para que o clube rubro-negro pudesse fazer essa farta colheita de hoje.

Mas o que o Flamengo fez em 2013 que possibilitou que o clube se tornasse essa potência financeira e de futebol que é hoje? Planejamento estratégico.

Mesmo convivendo com uma tragédia mal administrada e, ainda, mal resolvida, o clube tem conseguida cada vez mais visibilidade, vitórias e uma crescente valorização da marca.

Demorou, mas o futebol brasileiro está começando a se dar conta de que gestão profissional dá título e faz com que sua marca não pare de valorizar.

O planejamento estratégico de uma empresa, instituição ou até mesmo de um clube de futebol é o norte para que todas as tomadas de decisões sejam tomadas com o foco determinado para a estratégia de negócio.

Com origem militar, estratégia é uma forma de liderar, comandar uma tropa na direção dos seus objetivos, sempre focando no resultado da operação. Com isso, planejar a estratégia é desenhar os passos a serem tomados para que o objetivo seja alcançado, para que a estratégia seja de sucesso.

Na gestão o planejamento estratégico tem o mesmo objetivo, desenhar quais são os objetivos da instituição de médio e longo prazo e, através desse planejamento, tomar atitudes certeiras para que cada passo que seja dado pela administração seja no sentido de alcançar o seu objetivo.

Os planejamentos estratégicos de um clube podem ser vários, sejam eles quitar débitos trabalhistas, fiscais, legais como também internacionalizar a marca do clube, construir um estádio, um centro de treinamento, ganhar uma competição internacional, etc.

O grande problema que vimos no futebol brasileiro é a falta continuidade. O clube que está conseguindo se reestruturar e colocar as contas em dia mas não está com um time muito vitorioso já começa a sofrer pressão e, provavelmente não conseguiria uma reeleição para continuar com a estratégia, ou, um que ganha jogos, encanta a torcida, mas que, internamente, sofre com corrupção, salários atrasados, dividas crescentes, etc. Certamente quando o problema estourar, a pressão será contraria, e o foco da instituição passara, de uma hora para a outra, em melhorar as contas e a reputação da instituição.

Com isso, fica claro que definir um planejamento estratégico não é tarefa simples, desenhar o futuro de um clube e seguir, mesmo com pressões contraria de torcida, oposições políticas, mídia, não é para qualquer um. Mas os bons exemplos que vêm surgindo no Brasil estão se tornando inspiração para que as gestões profissionais e mais sérias surjam cada vez mais no país do futebol.

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email

Últimas Notícias

Colunas

Seções

Assine nossa newsletter

Toda sexta você receberá no seu e-mail os destaques da semana e as novidades do mundo do direito esportivo.