Quanto mais transparência, melhor

Cada vez mais o futebol brasileiro (mídia, torcidas e patrocinadores) vem cobrando dos gestores esportivos administrações mais comprometidas com as instituições, que sejam transparentes quanto às práticas e que informem das reais situações em que os clubes se encontram. Por isso, prestações de contas fidedignas são fundamentais para que a opinião pública consiga entender o cenário real que a instituição está vivendo e para que o clube cumpra o compromisso de transparência.

Também conhecida como accountability, a prestação de contas é uma importante contribuição para a transparência e responsabilidades de uma organização, pois apresenta, a todos os envolvidos, a situação administrativa, política, jurídica, eleitoral e, principalmente, financeira da instituição.

Ainda que muitos clubes não consigam colocar em prática essa ferramenta de gestão, novas gestões já se comprometeram com mais transparência. Essa importante atitude mostra, não só para os órgãos reguladores, mas também para toda a sociedade, o que está sendo feito e como os novos projetos estão seguindo.

O Sport Club do Recife, herdeiro de uma situação extremamente complicada oriunda das gestões anteriores, se comprometeu em apresentar aos seus sócios, patrocinadores, credores e torcedores a situação financeira da instituição, ainda em 2019.

O clube rubro-negro de Pernambuco, com menos receitas em 2019 em razão de ter disputado a série B e ter ficado fora da Copa do Nordeste, também conta com uma dívida que já ultrapassou os R$ 100 milhões.

No olho do furacão, a atual gestão, que teve a campanha eleitoral baseada em projetos de conformidade e transparência, vem colocando em prática o prometido. Vem sobrevivendo com pouco, renegociando dívidas e precisando manter-se focada também com parte de seus próprios torcedores criticando a exposição.

Hoje, já garantido na séria A do brasileirão 2021, de volta à Copa do Nordeste e iniciando o campeonato pernambucano, a gestão  do biênio 2019/2020, capitaneada por Milton Bivar, apresentou, em seu site institucional, a prestação de contas desse período.

Em um ano esportivo delicado, 2019, disputando uma segunda divisão, sem o campeonato regional e cheio de dívidas assumidas pela gestão anterior, algo em torno de R$ 200.000.000,00 (duzentos milhões de reais) e um 2020 de pandemia, que por si só dispensa comentários, o clube conseguiu atingir resultados importantes no sentido da reestruturação e saúde financeira do Leão.

Segundo relatório apresentado pela direção, nesse biênio, o clube pernambucano pagou mais de R$ 40.000.000,00 (quarenta milhões de reais) em dívidas e de testar muito perto de conseguir renegociar mais de R$ 90.000.000,00 (noventa milhões de reais) em débitos com o Governo Federal.

Em nota oficial, o clube se pronunciou dizendo que, “significa dizer que, além de sanar uma série de débitos de gestões passadas, a atual gestão conseguiu a proeza de angariar um fundo para futuros acordos ou processos de cerca de R$ 9 milhões.

Tudo fruto de muito trabalho, competência e ”pé no chão” ao gastar menos do que arrecada, fazendo com o que sobra seja utilizado para amortizar as dívidas”.

A atual gestão disputará, no próximo dia 5 de março.

Gestão que presta contas acaba gerando maior confiança e acaba recebendo mais apoio de todos os interessados. O dever de refletir a verdade e tornar a administração dos clubes exemplar torna cada vez mais interessante que as gestões venham a ser transparentes e realmente comprometidas com ética.

Doa a quem doer, as feridas precisam ser expostas para que os problemas sejam efetivamente resolvidos e administradores comprovadamente envolvidos nos casos de corrupção sejam punidos.

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email

Últimas Notícias

Colunas

Seções

Assine nossa newsletter

Toda sexta você receberá no seu e-mail os destaques da semana e as novidades do mundo do direito esportivo.