O bad boy do esporte mundial em 2019

Agora que o futebol europeu conclui mais uma temporada, quem deve levar o título de bad boy neste ano? Se houvesse eleição pela internet (como ocorre com o craque da partida/ou do Brasileirão), quem seria a sua escolha?

E se você também pudesse eleger atletas de outras modalidades do esporte? Quem você elegeria?

Será que você elegeria o famoso lutador de MMA que furtou o celular de um fã depois de ter escutado algo que não deveria? Um lutador irlandês que vinha quebrando todos os recordes do seu esporte, que transcendeu o seu esporte para fazer uma luta de boxe não convencional batendo todos os recordes de audiência de ambos os esportes, MMA e boxe.

Ou será que você votaria no mais famoso futebolista brasileiro da atualidade? Que num momento de raiva, rancor, frustração ou qualquer outra emoção humana (diga-se de passagem, a que todos nós somos sujeitos) deu um soco em um torcedor na saída do jogo (aliás, era um soco desses que o lutador de MMA mencionado acima precisava naquela luta contra o pugilista de linhagem famosa para vencer e se tornar o primeiro e único a conseguir tal façanha). Ele parece ter escutado o que não deveria, e aí…

Ou ainda o tenista australiano, com um nome grego quase impronunciável, que vive se metendo em encrencas? Dono de um dos saques mais potentes do mundo do tenis, esse “talento” já foi suspenso diversas vezes; recebeu várias multas e penalidades financeiras por parte do órgão gestor daquele esporte; já brigou com fãs, com umpires, com a mídia etc. Muitos dizem que ele ainda é imaturo. Vários outros, um caso incorrigível, um “desperdício”. Enfim, mais um caso de quem escuta o que não deve e perde a cabeça.

Mas será que você votaria em Raheem Sterling, jogador do Manchester City? Ele também escutou o que não deveria. E se rebelou. O que ele escutou, porém, foram atos de racismo. A forma como ele se rebelou foi realmente a de um bad boy: foi às redes sociais e, por meio de um post muito bem escrito, iniciou uma discussão de cunho social de suma importância para todas as modalidades do esporte: a luta contra o racismo. Sua iniciativa foi apoiada por órgãos que organizam o esporte na Inglaterra, pelos sindicatos de atletas profissionais, por vários atletas profissionais e pela mídia. Enfim, ousou fazer algo pela coletividade.

Será que já não é hora de termos um bad boy diferente?

Enfim, para quem vai seu voto?

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email

Últimas Notícias

Colunas

Seções

Assine nossa newsletter

Toda sexta você receberá no seu e-mail os destaques da semana e as novidades do mundo do direito esportivo.